Revista Êxito na Educação

Como se adaptar a nova escola, novos professores e amigos?

Volta às aulas

Dados do Censo revelam que cerca de 20% dos alunos abandonam o colégio entre o ensino fundamental e o ensino médio por problemas de adaptação

As férias estão acabando e para aqueles que estão iniciando a vida escolar, mudando de escola ou passando do ensino fundamental para o médio, essa transição pode provocar medo e insegurança. Dados do Censo Escolar 2012 mostram que cerca de 20% dos alunos matriculados nos sistemas público e privado de ensino abandonaram as salas de aula no ano passado, principalmente por problemas relacionados à dificuldade de adaptação entre uma fase e outra da vida escolar.

Na transição da primeira para a segunda etapa do ensino fundamental, por exemplo, ocorrem muitas mudanças. Em alguns colégios, o horário passa a ser obrigatoriamente matutino; a professora que criava laços afetivos com cada aluno cede lugar a professores de várias matérias; e o grau de exigência aumenta.


Segundo Elsa Ennes, orientadora educacional do Colégio da Imaculada Conceição (CIC), em Botafogo, esse período de mudanças deve ser muito bem administrado não só pela família, como também pela escola. “Os professores, a orientadora educacional e a psicóloga devem acompanhar os alunos do 6º ano nas primeiras semanas, fazendo a apresentação do colégio para que o aluno se familiarize com a nova rotina. Com os alunos do 1º ano do Ensino Médio, a atenção deve ser diferenciada. Devemos mostrar como o vestibular pode ser importante para suas vidas”, explica Ennes.

Para a orientadora educacional, essa dificuldade de adaptação tem reflexo direto no desempenho escolar: “O aluno que não está adaptado sofre muito, se deprime, se isola e tem baixo rendimento. Com isso, começam as fugas: sono intenso, faltas e atrasos sucessivos, desorganização. Ou seja, o aluno faz tudo para não estar na sala de aula.”

A especialista diz que os pais devem ser parceiros da escola para ajudar na adaptação do filho. “É preciso encorajá-los, dando oportunidades para que ele se expresse, além de reforçar a confiança no colégio escolhido”, sugere. Ela recomenda ainda que os pais tenham cuidado para não passar sua ansiedade para o filho, pois faz com que ele se sinta inseguro. “É preciso deixar bem claro que seu filho está crescendo, e este é um processo natural no curso da vida”, argumenta a orientadora educacional do CIC.

Carolina Laert, SB Comunicação

Add comment

Seus comentários são muito bem vindos, contudo nos reservamos o direito de filtrar aqueles que contenham ataques pessoais, que fujam ao escopo do assunto, veiculem publicidade não autorizada ou violem qualquer legislação, local ou internacional, ou mesmo as regras básicas de Netiqueta.


Security code
Refresh