Revista Êxito na Educação

Artigos

Educação solidária e cooperativa: uma “prece” que não espera vir de cima

Educação é direito do cidadão e dever do Estado, mas há regiões onde o Estado não consegue alcançar e oferecer as condições mínimas para as demandas existentes. Em 2014 completam 20 anos de um programa inovador, o PRECE - Programa de Educação e Células Cooperativas - que surgiu na comunidade rural de Cipó em Pentecoste, sertão do Ceará, quando 7 jovens fora da faixa etária escolar passaram a estudar e conviver numa velha casa de farinha. Na época (1994) contaram com a ajuda, nos finais de semana, do professor Manoel Andrade, contudo a ideia básica era estudar de forma solidária e cooperativa, enfrentando a precariedade da região e das ofertas de ensino. Dois anos depois, um de seus membros, Francisco Antônio Alves Rodrigues, era aprovado em primeiro lugar para o curso de pedagogia da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Este projeto de aprendizagem cooperativa começou a mudar a vida de jovens sertanejos. A aprovação de Francisco estimulou ainda mais o grupo e outros estudantes da região vieram integrar o Prece. Estudar de forma solidária - com cada um compartilhando aquilo que sabe e domina - começou a dar cada vez mais resultados e novos estudantes conseguiram conquistar sua vaga no ensino superior. Uma vez na universidade, o estudante é estimulado a voltar para sua comunidade de origem e colaborar com os que estão ingressando no programa.

Em 2009 a UFC criou o Programa de Aprendizagem Cooperativa em Células Estudantis, visando aumentar os índices de conclusão dos cursos, e a Secretaria de Educação do Estado do Ceará, em parceria com o PRECE, difundiu a aprendizagem cooperativa junto a professores e estudantes do ensino médio. Tudo isso decorreu do avanço que desde 2002, levou 40 estudantes da sede de Pentecoste a estudar no PRECE e fundarem no ano seguinte a primeira Escola Popular Cooperativa, que atraiu estudantes de outros municípios. Esta partilha de conhecimentos e experiências vem se multiplicando para mais de 500 estudantes de origem popular que conseguiram ingressar na universidade, divididos em treze associações estudantis (Escolas Populares Cooperativas) em quatro municípios (Pentecoste, Apuiarés, Paramoti e Umirim).

Visite o site do PRECE:

http://www.prece.ufc.br