Revista Êxito na Educação

Brasil conquista medalhas em olimpíada de biologia na Argentina

A delegação brasileira conquistou quatro medalhas de bronze na sétima edição da Olimpíada Ibero-Americana de Biologia (OIAB). A competição, que terminou nesse sábado, foi realizada na cidade de Rio Cuarto, na Argentina. Nossos medalhistas foram os estudantes Alexandre Chaves Fernandes (Natal, RN), Lucas Medeiros Lopes (Fortaleza, CE), Lucas Henrique Rodrigues de Almeida (Barbacena, MG) e Eduardo Cesar Diniz Macedo (Fortaleza, CE).

Os alunos fizeram provas teóricas e práticas na OIAB que segue o mesmo modelo da olimpíada internacional. O desempenho da delegação foi melhor nas provas teóricas. “Avalio como satisfatória a participação dos estudantes brasileiros, uma vez que todos ganharam medalhas.”, disse o professor José Carlos Pelielo, um dos líderes da equipe.

O encontro contou com estudantes da Argentina, da Espanha, do México, de Portugal, da Costa Rica, do Equador, de El Salvador, do Peru e da Bolívia, além do Brasil. Segundo o regulamento, cada equipe tinha o direito de levar até quatro alunos. A próxima edição da olimpíada será no México, de 07 a 13 de setembro de 2014. “E, além do conteúdo teórico, as provas práticas da OIAB 2014 vão exigir dos candidatos bons conhecimentos em ecologia, biologia celular e molecular e anatomia e fisiologia vegetal”, diz Pelielo.

Como participar

Para competir na OIAB ou na Olimpíada Internacional de Biologia (IBO, na sigla em inglês), o aluno deve antes participar da olimpíada nacional de biologia em seu país. Eles devem ainda ter no máximo 19 anos e não estar cursando faculdade.

Esse ano, a OBB reuniu 70 mil jovens. No intuito de preparar os estudantes para as competições no exterior, a Associação Nacional de Biossegurança (ANBio), responsável pela iniciativa no país, promoveu um treinamento intensivo com os dez primeiros colocados da olimpíada brasileira. Eles assistiram às aulas em laboratórios da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e do Instituto de Tecnologia ORT.

Organização

A Olimpíada Ibero-Americana de Biologia surgiu há sete anos. Foi fundada pelo Brasil, México, Argentina e Espanha com o intuito de aproximar as nações ibero-americanas. Além dos idiomas (português e espanhol), os países têm muitas características em comum.

A OIAB segue o mesmo modelo da olimpíada internacional. Neste ano, foram duas provas teóricas e três provas práticas com os temas: Biodiversidade e Conservação,  Ecologia e Ambiente e Genética e Evolução. Além disso, os alunos também participaram de um Rally (gincana) que visa aumentar o intercâmbio entre os participantes.

Mais informações: http://www.anbiojovem.org.br/

Brasil conquista primeiro lugar em Olimpíada Ibero-Americana de Matemática

Agência FAPESP – O Brasil saiu vitorioso da 28ª edição da Olimpíada Ibero-Americana de Matemática, realizada no Panamá. A equipe brasileira, formada por quatro estudantes, ganhou medalhas de ouro e prata na competição encerrada na sexta-feira (27/09).

Rodrigo Sanches Ângelo (SP) foi o destaque da equipe brasileira e conquistou a medalha de ouro, atingindo a pontuação máxima da prova. Os estudantes Franco Matheus de Alencar Severo (RJ), Victor Oliveira Reis (PE) e Rafael Kazuhiro Miyazaki (SP) ganharam a prata.

62 obras sobre os principais pensadores da educação

O Ministério da Educação, em parceria com a UNESCO e a Fundação Joaquim Nabuco, disponibiliza para download a Coleção Educadores, uma série com 62 livros sobre personalidades da educação. A coleção traz ensaios biográficos sobre 30 pensadores brasileiros, 30 estrangeiros, e dois manifestos: "Pioneiros da Educação Nova", de 1932 e "Educadores", de 1959. A escolha dos nomes para compor a coleção foi feita por representantes de instituições educacionais, universidades e Unesco.

Programa Universidade para Todos: democratizar ou mercantilizar?

Muitos estudantes se beneficiaram do ProUni. E devem ser apoiados em seu direito à educação superior. O problema é que tal política destrói qualquer projeto democrático de nação.

por Roberto Leher

A expansão das matrículas do ensino médio, o recrutamento de força de trabalho pelo capital e as mobilizações de estudantes e docentes em prol de uma reforma universitária tornaram improrrogável a questão da democratização do acesso à educação superior. O crescimento econômico motivou a emergente classe média a investir – como o passaporte para a mobilidade social – em cursinhos pré-vestibulares para garantir o acesso de seus filhos à universidade. Os estudantes excedentes (aprovados, mas sem vagas) saíram às ruas em protestos que abalavam a imagem do “Brasil potência”.

Acervo digital disponibiliza toda a obra de Paulo Freire

O Centro de Referência Paulo Freire, dedicado a preservar e divulgar a memória e o legado do educador, disponibiliza vídeos das aulas, conferências, palestras e entrevistas que ele deu em vida. A proposta tem como objetivo aumentar o acesso de pessoas interessadas na vida, obra e legado de Paulo Freire.

Universidade obriga alunos a usarem chapéu “anti-cola”

A Universidade Kasetsart, em Bangcoc, na Tailândia, criou uma espécie de chapéu para tentar impedir que os alunos colem durante a prova. O acessório é feito de papel e foi lançado em uma página no Facebook, segundo o site tailandês "Coconuts".