Revista Êxito na Educação

Design Thinking leva inovação para as salas de aula - Gamificação do estudo

Gamificação do estudo

A solução adotada gamificou o projeto final dos alunos, que hoje é avaliado por bancas com profissionais de fora da universidade. Os grupos preparam planos de negócio e, inicialmente, os apresentam em vídeos de um minuto e meio, disponibilizados no YouTube. Depois, eles partem para apresentações curtas (às vezes de 30 segundos), para defenderem seu negócio. Os grupos são eliminados conforme o seu desempenho até restarem apenas dois finalistas, que duelam entre si.

Apenas incluir a competição já deu nova motivação aos estudantes para se prepararem ao longo de dois semestres acompanhando as aulas do professor. O desafio de Ching agora é propagar a técnica pelos demais docentes do departamento e leva-los a inovar. “Uma das demandas que os alunos já me trouxeram é por aulas ao ar livre ou mesmo em ambientes que não sejam a sala de aula. Temos que pensar quais disciplinas teriam mais facilidade em implantar isso”, relata Ching.

Quando o coordenador da FEI estava escrevendo seu artigo, procurou bibliografia e cases de outros professores que tivessem aplicando o Design Thinking dentro de sala de aula, mas não encontrou material vasto. Ching se apoiou principalmente em um site criado pela norte-americana Ideo, que faz consultoria para empresas na metodologia. A agência criava produtos e serviços quando percebeu que poderia propagar o modelo mental; em vez de desenhar objetos, mudar comportamentos.